Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 21 de setembro de 2018

Valdomiro Silva

Bahia evita desastre aos 48 do 2º tempo

08 de novembro de 2016 | 23h 32

Uma rodada repleta de emoções e muitos gols, na reta final da Série B

Bahia evita desastre aos 48 do 2º tempo
Foto: Reprodução
Com a Fonte Nova recebendo seu maior público na Série B, mais de 34 mil torcedores, o Bahia, sem perguntar se assim desejariam os tricolores – se com, ou sem – venceu com emoção, e bota emoção nisso, ao agora matematicamente rebaixado Sampaio Correia, do Maranhão, por 1x0. O triunfo, que só foi alcançado nos acréscimos do segundo tempo, aos 48, salvou o Esquadrão daquele que seria seu maior vexame na competição.
 
Um empate, que em alguns momentos ameaçava até virar uma derrota, seria catastrófico. O time simplesmente sairia do G-4, cedendo lugar ao Náutico. Mas Ernane, o brocador, 52 dias sem marcar, e depois de ter perdido duas chances de ouro na partida, recebeu passe de calcanhar (isso mesmo, de calcanhar), de um zagueiro do seu time, e marcou com categoria, uma cavadinha na entrada da pequena área.
 
Da perda de espaço no G-4, o Bahia saiu de campo vice-líder. Com 59 pontos, empata com Vasco e Avaí, mas supera esses concorrentes em outros critérios.  E agora vai a Lucas do Rio verde, Mato Grosso do Sul, enfrentar o imprevisível Luverdense, próximo sábado. Para não correr riscos de deixar o grupo de classificação, o Bahia deve vencer este adversário que não luta mais pela Série A, tampouco para não cair.
 
Atlético de Goiás, o primeiro a subir
 
Quem não está para prosa, mesmo, nessa Série B, é o Atlético de Goiás. Terceira força do futebol daquele estado, deixa para trás os dois maiores de lá, o Goiás e o Vila Nova. Ao derrotar fora de casa, por 3x2, um Londrina que ainda luta para retornar depois de décadas a uma primeira divisão, o Dragão goianiense assegurou matematicamente a sua vaga na elite, com 67 pontos.  Não deixa de ser uma surpresa. Além de desbancar os rivais regionais, deixa para trás forças como Vasco, Bahia, Ceará, Paraná, entre outros mais tradicionais.
 
Vasco está dando chance ao azar
 
O Vasco parece que quer dar um presente de grego neste natal, a sua imensa torcida, que seria a permanência na Série B em 2017. Depois de perder do Brasil de Pelotas, retornou a São Januário ontem e, pasmem os vascaínos, não conseguiu derrotar o Luverdense. Até abriu o placar no primeiro tempo, mas cedeu o empate na segunda etapa. Vai jogar fora sábado que vem. Se perder, pode sair do G-4. Se o Bahia chegou a sentir o sabor de um amargo quinto lugar e ascendeu a vice-liderança, o time da Cruz de Malta, há muito, não aspira mais primeira posição, e agora briga muito mais é para não continuar no “inferno” da segunda divisão.
 
Ceará sobrevive; Criciúma fica
 
O Ceará, ah, o Ceará. Depois de figurar entre os primeiros por várias rodadas, desperdiçou ótimas oportunidades de engrenar e agora, na reta final, esboça uma reação. Venceu a segunda seguida hoje, e fora de casa, contra o Criciuma. O time catarinense foi varrido de vez da briga por G-4. Os cearenses, por sua vez, ainda estão vivos nessa luta, embora seja, dos que batalham, quem menos chances tem de subir, com seus 53 pontos e atrás de Náutico, CRB e Londrina com 57, 55 e 54 pontos respectivamente.
 
Avaí empata, se mantém, mas não avança
 
Um 0x0 que não serviu de muita coisa para ninguém. Oeste e Avai empataram quando necessitavam muito triunfar.  O Avaí para melhorar a sua posição no G-4, enquanto a equipe do interior de São Paulo, em sua luta para se manter na Série B. Com 37 pontos, o Oeste continua correndo risco. Os catarinenses, em seu quarto lugar no G-4, no limite da classificação a Série A, ainda vai ter que brigar muito para chegar lá.
 
“Os 3 do Nordeste”
 
Se juntar as histórias de Ceará, Náutico e CRB – que podem ser chamados “Os 3 do Nordeste”, como aquele famoso grupo de forró, elas vão ser praticamente iguais. Equipes que viveram grandes momentos na Série B, mas que chegam na reta decisiva afastados do G-4 e desesperados por uma vaga. O Náutico cumpriu ontem uma árdua missão: derrotou o Goiás na Arena Pernambuco pelo placar mínimo. O CRB foi a Juiz de Fora e confirmou sua ótima performance de visitante – como anfitrião, um desastre – vencendo o quase rebaixado Tupi em um emocionante 4x3.
 
Muita emoção pela frente
 
Conclusão: se na elite do futebol brasileiro, a Série A, o Palmeiras é quase campeão e estão bem encaminhados os outros classificados para a Libertadores 2017, na Série B o Atlético Goianiense já pode encomendar as faixas, mas os outros três que vão deixar a segunda divisão ainda estão indefinidos. 


Valdomiro Silva LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje