Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 07 de agosto de 2020

Valdomiro Silva

Goleado na Paraiba, Vitória faz torcida colocar "barba de molho", em estreia na Copa do Brasil

07 de fevereiro de 2017 | 20h 03
Goleado na Paraiba, Vitória faz torcida colocar
 
A empolgação que tomou conta da torcida do Vitória, com os seguidos triunfos contra o Vitória da Conquista, pelo Estadual, por 2x0, e diante do Sergipe, na Copa do Nordeste, 3x1, durou pouco, e já transformou-se em preocupação, depois da acachapante goleada sofrida em João Pessoa, 4x2 para o Botafogo da Paraiba, domingo último. Uma apresentação bisonha do time baiano, talvez a versão mais original de sua capacidade, neste começo de temporada.
 
O Botafogo-PB é um time modesto, que nem é a primeira força do futebol paraibano, mas dominou completamente o adversário, que é da Série A do Brasileirão. A defesa do rubro-negro baiano mostrou que ainda é uma avenida aberta, precisa melhorar muito. Em um grupo que ainda é integrado pelo América de Natal, Após duas rodadas o Vitória se nivela, com três pontos, aos seus  concorrentes, todos de menor tradição e disputando competições nacionais inferiores. o que se viu na Paraiba foi um grande vexame do time baiano. 
 
Nesta quarta-feira, 8, o Vitória tem que se reabilitar, em sua outra competição mais importante neste começo de ano, a Copa do Brasil. Vai a Brasília enfrentar o Luziania, que é de Goiás mas tem mando de campo na capital federal. Bom lembrar que este certame, agora, tem nova fórmula de disputa na primeira fase. O visitante, time sempre muito superior ao da casa, é eliminado se sofrer derrota. Para ir adiante precisa vencer ou empatar.
 
Espera-se que o Vitória se reabilite. A diferença de investimento e folha salarial entre as equipes é gigantesca. Seguramente a remuneração mensal de dois jogadores do Vitória seriam suficiente para pagar todo o elenco do time goiano.  Portanto, tem a obrigação de se impor, desconsiderando o fato de atuar longe de casa. De qualquer forma, melhor o torcedor rubro-negro colocar a barba de molho. Afinal, a triste lembrança da inapelável derrota para o Botafogo da Paraiba está ainda muito fresca na memória.
 
GARRA E INTELIGÊNCIA, ARMAS DO BAHIA DE FEIRA CONTRA O DA CAPITAL
 
O Bahia de Feira, que recuperou-se da estreia ruim no Estadual (uma derrota em Conquista, para o Vitória da Conquista), derrotando o Atlantico, de Lauro de Freitas, domingo no Joia da Princesa, tem nesta quarta-feira o seu teste mais difícil nesta fase do certame. Enfrentará o Bahia de Salvador, em Pituaçu. 
 
Entrevistados no BA-TV desta noite, jogadores do Tremendão deixaram muito claro o seu objetivo nesta partida: buscar o empate. Um deles foi enfático: "vamos tentar um ponto". O técnico Quintino Barbosa, que assumiu com a precoce queda do seu colega Jaelson Marcelino, que iniciou a competição - e só comandou o time em um jogo - diz que o Bahia de Feira está longe de atingir um nível confiável, a ponto de leva-lo a acreditar a chegar mais longe. Jogadores e técnico estão sendo realistas.
 
Se o Bahia de Feira está distante de um ponto ideal, o  da capital, dirigido por Guto Ferreira, não parece próximo disso, igualmente. É uma equipe em formação, que não repete os mesmos 11 titulares no Estadual e Nordestão. Sua torcida encontra-se desconfiada. O time feirense pode tirar proveito dessa instabilidade. Com raça e inteligência, atacando na hora certa e se defendendo com competência, pode, sim, voltar de lá com um ponto. Ou mais.


Valdomiro Silva LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje