Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, terça, 13 de novembro de 2018

Economia

Shopping Popular é apresentado ao Conselho de Desenvolvimento Econômico

28 de janeiro de 2015 | 11h 22
Shopping Popular é apresentado ao Conselho de Desenvolvimento Econômico
O secretário municipal do Trabalho, Turismo e desenvolvimento Econômico,  Antonio Carlos Borges Júnior, apresentou, nesta terça-feira, 27, aos membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico, a minuta do  projeto arquitetônico e o edital do Shopping Popular de Feira de Santana, iniciativa que faz parte do plano  de requalificação do centro comercial da cidade , o Pacto de Feira, e cuja licitação será lançada no dia 6 de fevereiro.
 
Previsto para ser entregue num prazo estimado de um ano, o Shopping Popular está orçado em R$ 131,6 milhões, através de uma Parceria Pública Privada (PPP), com um aporte de R$ 13 milhões da Prefeitura Municipal, em forma de subsídios e concessões. Neste sentido, a Prefeitura também cederá o terreno para a construção do equipamento.
 
O shopping, que será construído numa área de 30 mil metros quadrados, contígua ao Centro de Abastecimento, contará com 9.552 metros quadrados destinados à locação de boxes, num total de 1.831 unidades, cada um medindo 5 metros quadrados. Só para os setores de restaurantes e lanchonetes estão previstos, respectivamente, 630 e 929 metros quadrados.
 
O secretário Borges Júnior estima que estes dois seguimentos terão um papel significante dentre as receitas do empreendimento comercial, gerando, em torno de aluguéis de boxes e outras áreas, um faturamento de R$ 318,18 milhões, em todo o projeto. Outros setores, a exemplo de lojas de alimentação e de serviços, foram reservadas áreas de 630 e 929 metros quadrados, respectivamente, perfazendo um total de l.559 metros quadrados.
 
A empresa vencedora da licitação terá um prazo de 30 anos para explorar o equipamento. Segundo estimativas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a receita bruta para este período é estimada em R$ 531 milhões, dos quais 5% serão repassados à Prefeitura Municipal, ou seja, R$ 26,55 milhões.
 
Para o primeiro ano, o valor do condomínio por metro quadrado ficou orçado em R$ 46,55, alcançando R$ 57,25, no último ano. Com taxa de inadimplência a curva presumida é de 30%, no primeiro ano,  e de 15% nos demais anos de operação.
 
Durante o encontro realizado no salão de convenções de um hotel da cidade, algumas críticas e ponderações apresentadas ao projeto do Shopping Popular por membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento Econômico (em sua maioria formada por lideranças sindicais e de associações de classes representativas do comércio feirense) serão acatadas, aprimoradas e, segundo o secretário Borges Júnior, “ dentro do entendimento comum entre as partes, agregadas em caráter definitivo à concepção do projeto”, ponderou.


Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje