Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 18 de novembro de 2018

Emanuela Sampaio

Augusto Cruz lança mais um livro.

21 de setembro de 2017 | 12h 35
Augusto Cruz lança mais um livro.
Augusto Cruz com Eliezer Nobre artista visual

Aconteceu dia 16 de setembro, na Livraria Cultura no Salvador Shopping , o lançamento do terceiro livro do advogado, e escritor, Augusto Cruz. O evento foi bastante concorrido e movimentado na sociedade soteropolitana, superando as expectativas de lançamentos de autores regionais.

Entrevistamos Augusto, que ao lado do artista visual, Eliezer Nobre, responsável pela capa do livro, estavam autografando e muito felizes com os convidados. 

ES: O que o leitor pode esperar de Sobre Mares e Monstros e Outras Histórias?

AC: Contos que trazem monstros que exorcizamos, combatemos, sofremos e convivemos em nossos pesadelos e sonhos. Mas tem referências a minorias, a relação entre pai e filho, acho que o leitor encontrará vários pontos de reflexão. Ao final, o leitor perceberá que o tema recorrente de meus livros é o ser humano.

 

ES: De onde vem a inspiração para escrever? Quem o influenciou, influencia e o que lhe leva a escrever?

AC: Sem dúvida que a literatura e o cinema. Meus pais eram leitores contumazes e isso me levou à leitura. A escrita me ajuda a exorcizar meus monstros e se tornou a melhor forma de compartilhar com as pessoas o que penso e sinto. 

 

ES: A capa do livro, feita por Eliezer Nobre, é muito intensa e chama atenção, como foi que surgiu essa relação entre vocês e como foi o processo de elaboração do monstro e o seu envolvimento?

AC: Um amigo em comum promoveu nosso encontro. Entreguei a Eliezer um rascunho do livro e alguns dias depois ele me telefonou dizendo que adorou o livro que toparia fazer a capa. Fiquei emocionado, afinal, um artista do calibre dele fazendo isso por mim! Nem acreditei. Ele fez um primeiro esboço e fui sincero dizendo que não era bem o que pensava, mas não disse o que pensava, pois nem eu sabia o que queria, na verdade, sabia o que não queria... dias depois ele me envia pelo WhatsApp uma gravura de um ser horrendo, bem colorido e com tentáculos, mas com um olhar terno. Perdi o fôlego quando vi e pensei: “é isso! Eliezer mergulhou no livro e encontrou o que o representa!”Escrevi  de volta para ele uma única palavra em letras garrafais: ESPETACULAR.

 

ES: Em Corredor: Um estilo de vida, você se apresenta como uma pessoa comum que corre e conta suas sensações correndo. Já em Certas Mulheres você traz o universo feminino, inclusive com questões relacionadas à luta pela igualdade. Agora, em Sobre Mares e Monstros e Outras Histórias você exibe nas entrelinhas das histórias os pesadelos, as angústias, os medos, os sonhos e até nos traz algumas histórias mais poéticas. Sua obra aparentemente eclética parece ter alguns elos, estou certa? 

AC: Sim! Minha obra pode se resumir em uma palavra: humanidades. Escrevo sobre as angústias das pessoas. Em Corredor, eu escrevi sobre um ser humano contemporâneo que padece de estresse e encontra uma forma de equilibrar corpo, mente e alma; em Certas Mulheres, trago diversas facetas de mulheres em seu dia a dia, inclusive quando da luta por igualdade e justiça; e, em Sobre Mares e Monstros e Outras Histórias, mergulho em nossos pesadelos e sonhos, mas também trago histórias protagonizadas por minorias (negros, índios e mulheres).

 

ES: Quais seus próximos projetos? 

AC: Estou escrevendo dois livros: a biografia de Verônica Almeida, paratleta olímpica baiana e a continuação de Corredor: Um estilo de vida. São dois trabalhos desafiadores. A biografia por que preciso passar os sentimentos e as emoções de uma pessoa real, e não de mim mesmo (como em Corredor) ou de alguma personagem que criei, como nos livros de contos.

Já “Corredor 2” vem por conta de muitos pedidos, muitos mesmo, de leitores que pedem mais histórias e mais dicas. Como se passaram dois anos das histórias que contei e de lá para cá corri em outros países e vivi novas experiências, já tenho material, mas o desafio para mim é fazer uma sequência no mesmo nível do primeiro livro, pois o feed back que recebi foi incrível e tenho medo de quebrar o encanto dos leitores, mas vou arriscar!

 

ES: Qual conselho você daria para quem está começando a escrever, como eu, por exemplo, que estou preparando meu primeiro livro e desejo lança-lo ano que vem.

AC: Leia muito! Identifique suas influências e isso você faz pensando em origens. Comece a escrever, mas não tenha pressa em publicar. Escreva, guarde, semanas depois volte ao texto, seu olhar será diferente. Evite mostrar a todos os amigos o que está escrevendo, somente depois que finalizar, mostre a alguém de confiança e que será sincero. Contrate uma boa revisão, inclusive para leitura crítica e siga em frente. Não espere por aceitação ou elogios, apenas “siga os tijolos amarelos!” comoDorothy em o Mágico de Oz. 



Emanuela Sampaio LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje