Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quarta, 22 de janeiro de 2020

Câmara Municipal

Projeto em Feira tenta proibir ‘exposições eróticas’; proposta é vista como ‘absurda’

29 de novembro de 2017 | 07h 49
Projeto em Feira tenta proibir ‘exposições eróticas’; proposta é vista como ‘absurda’
Foto: Reprodução
Um projeto aprovado pela Câmara de Vereadores de Feira de Santana quer proibir o que chama de “exposições públicas de imagens de conteúdo erótico e pornográfico”.
 
Segundo o autor da iniciativa, vereador Isaías de Diogo (PSC), o Projeto de Lei servirá para “prevenir” e “proteger” os cidadãos de Feira.
 
 “Nós estamos proibindo na cidade de Feira de Santana este tipo de exposição, tendo em vista que em alguns estados do Brasil aconteceram algumas exposições dessas, que na verdade de cultura não tem nada, tem é descaração”, disse, desse jeito, o edil contatado pelo Bahia Notícias.
 
O projeto referendado pela Câmara feirense ocorre após polêmicas como a censura a uma exposição de diversidade sexual em Porto Alegre [Queermuseu] e uma campanha contra uma performance artística ocorrida no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo. Ambas ocorreram em setembro passado e foram alvos de ataques do grupo intitulado Movimento Brasil Livre (MBL). Para Isaías de Diogo, se o prefeito José Ronaldo (DEM) não aderir ao projeto, o caso mostrará que o gestor prefere o lado “errado”. “Se não aprovar demonstra que ele está a favor da coisa errada. E eu não penso que o prefeito esteja, porque ele tem netos e a gente está querendo proteger nossos familiares”, prognosticou.
 
Para o presidente da Fundação Gregório de Mattos, em Salvador, Fernando Guerreiro, propostas como essas são "absurdas", além de ferirem a Constituição Federal. Recentemente, uma peça de teatro que trazia uma transexual como Jesus foi proibida de ser exibida em um dos equipamentos da fundação soteropolitana. O dirigente cultural vê ainda brechas para volta da censura, abolida com o fim da ditadura civil-militar [1964-1985].
 
“Isso é completamente absurdo. Eu acho que quem deve decidir sobre o que quer ver ou não é o cidadão. Eu não quero que ninguém decida por mim o que eu vou ver. E no âmbito da minha família, enquanto meus filhos forem menores, irei decidir por eles. O cidadão é livre para tomar a decisão que ele quiser”, afirmou. Conforme o presidente da Fundação Gregório de Matos, uma campanha nacional já foi iniciada contra a “onda conservadora” sobre as artes e receberá apoio de entidades municipalistas como a Frente Nacional de Prefeitos (FNP).
 
“Vamos começar uma luta mais ferrenha contra esse processo de volta da censura, de satanização da artes. E já existe um grande movimento que já ocorre com artistas, agentes culturais, e cidadãos com o mínimo de consciência, para se insurgir contra esse tipo de postura. Não tenha dúvida que a área cultural vai lutar”, declarou. Guerreiro disse ainda que os ataques contra a arte que ocorrem no pais escondem um problema bem maior. “Eu acho que isso tudo tem sido construído para tirar o foco do nosso grande problema no país hoje, que é a corrupção. Esse sim merece atenção. Escândalo é isso”, finalizou.

FONTE: Bahia Notícias



Câmara Municipal LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje