Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quinta, 15 de novembro de 2018

César Oliveira

Rui Costa e a saúde

Cesar Oliveira - 28 de maio de 2018 | 16h 00
Rui Costa e a saúde
Foto: Matheus Pereria/Gov /Ba - Policlínica de Feira de Santana

O governo Rui Costa, é justo reconhecer, tem feito grandes investimentos na infraestrutura de Saúde, na Bahia. Inaugurou a maior série de hospitais que já tivemos (HGE2, Hospital da Mulher, em Salvador; Hospital Costa do Cacau, em Ilhéus; da Chapada, em Seabra;  ampliação do Prado Valadares, em Jequié), além de cinco Policlínicas e UPAS. Apesar de todo discurso da oposição com relação a limitações do funcionamento- e existem-, é uma mudança extremamente significativa e que recupera uma defasagem histórica que a Bahia tinha.  Além disso, deverá entregar o novo Hospital Couto Maia, até o meio desse ano e construirá o Hospital Metropolitano, em Lauro de Freitas.  Não há como não reconhecer o impacto que essa estruturação, nova, causa  na resolutividade  e eficiência assistencial da população.

Em Feira, o governador tem uma dívida significativa. Há quatro anos, fez uma promessa não cumprida, de erguer o novo HGCA. A sua palavra, não valeu. Escrevemos diversas vezes que a saída era reformar o HGCA, para ganhar sobrevida, algo que o governo recusava, até que resolveu render-se ao senso comum. Assim, está concluindo a maior reforma que já foi feita naquela unidade, que vivia capengando, maltratada, limitada, subtraída de sua importância e dimensão.  A mudança de visão foi um alento para quem atua e para quem precisa do HGCA, que está passando por uma revisão geral.

Ao mesmo tempo, o governador anunciou – segunda vez- a construção do HGCA 2, uma necessidade impositiva e que não se justifica sequer ter ficado para depois, mas antes tarde do que nunca.  É certo que Rui veio inaugurar e anunciar uma série de obras e ações na casa do candidato  adversário, mas não há porque duvidar que o hospital será implantado. Nesse caso, apesar da falha anterior, acredito que o governador irá cumprir o anúncio.

Há, portanto, com a Policlínica e a reforma do HGCA, uma melhora na assistência do Estado à saúde regional. Esperamos que haja algum modelo gerencial que coloque as três unidades (UPA, Policlínica, HGCA) com funcionamento integrado, permitindo a otimização dos serviços ambulatoriais e de internamento, entre eles, e que não funcionem como se fossem unidades de redes de saúde independentes.

Rui, está legando um avanço na saúde.



César Oliveira LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje