Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quinta, 15 de novembro de 2018

André Pomponet

Lançado “Feira”, livro do jornalista Jânio Rêgo

André Pomponet - 30 de maio de 2018 | 19h 30
Lançado “Feira”, livro do jornalista Jânio Rêgo

Finalmente veio a público “Feira”, do jornalista potiguar Jânio Rêgo, longamente radicado na Feira de Santana. Parto difícil, adiado por um ano ou mais, mas que chegou de repente, como essas intensas trovoadas aguardadas com ansiedade pelos sertanejos, que desabam de uma vez. “Feira” começa feliz já pelo título: não é “a Feira”, mas um mosaico de “Feiras” que, mescladas, entrelaçadas e, sobretudo, múltiplas e singulares, convergem para se tornar a “Feira” que o jornalista busca retratar.

O inusitado da obra começa pela estratégia comercial do autor: nada de noite de autógrafo ou lançamento num desses espaços sofisticados. Não: “Feira” é produto de feira-livre, artigo de papel, similar aos cordéis que se veem à venda por aí no meio do povo, entornando a criatividade e a cultura sertanejas pelas feiras-livres. Então, quem quiser apreciar a palavra de Jânio Rêgo, que vá à procura da obra no Mercado de Arte Popular, o MAP.

Lá, o livro está em exposição, à venda, na banca de Jurivaldo Alves, cordelista apaixonado pela Feira de Santana. “É preciso escrever mais sobre a cidade”, constatava ele, na tarde de ontem (30), enquanto embalava a mercadoria. Através das portas do MAP era possível ver, na Praça da Bandeira, a garoa fina sob um teto de nuvens cinzas. E a dedicatória? “Depois você pega com Jânio”, recomendou o cordelista.

 “Feira” reflete bem o perfil do autor: é mais produto do editor do que do jornalista ou do cronista. Na obra, há espaço para textos de autores diversos que, ao longo dos últimos anos, contribuíram com o “Blog da Feira”, matriz da publicação. Está aí o sutil traço característico do editor, que se dedica mais a selecionar aquilo que é relevante que, propriamente, à produção, à labuta da redação.

Não que a escrita enxuta e elegante de Jânio Rêgo não se veja na obra: os textos sobre Caculé e Tieta, a rezadeira do bairro São José do Cazumbá, por exemplo, são de autoria dele. Um dos pioneiros no jornalismo digital na Feira de Santana, o novo escritor mantém, há mais de uma década, o conhecido “Blog da Feira”, leitura obrigatória para quem deseja conhecer a Feira de Santana e suas gentes.

Arremata o livro uma excelente entrevista com o fundador do extinto jornal Feira Hoje e atual procurador jurídico da Uefs, Hélder Alencar. Um grande time foi escalado para a ocasião: além do próprio Jânio Rêgo, Marcílio Costa – chefe de jornalismo da tevê Subaé – e os jornalistas Everaldo Goes, Reginaldo Pereira e Elsimar Pondé, dentre outros.

Comentado há tempos, mesmo antes de vir a público, “Feira” é um dos lançamentos mais aguardados do ano aqui na Feira de Santana.



André Pomponet LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje