Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 20 de julho de 2018

Educação

Prefeitura de Salvador anuncia corte de ponto para professores que aderiram à greve

12 de julho de 2018 | 14h 24
Prefeitura de Salvador anuncia corte de ponto para professores que aderiram à greve
A Prefeitura de Salvador anunciou, nesta quinta-feira (12), que vai cortar o ponto, já na folha de pagamento de julho, dos professores da rede municipal que aderiram à greve, deflagrada na manhã de quarta-feira (11). De acordo com a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Elza Melo, a categoria continuará com as atividades suspensas.
 
"Vamos continuar o movimento e, quando retomarmos as atividades, vamos repôr as aulas e cumprir com os 200 dias letivos previstos por lei. Temos responsabilidade com nosso alunos", afirmou.
 
Em nota, a gestão municipal informou que já apresentou, por meio da Secretaria Municipal de Gestão (Semge), uma proposta de reajuste de 2,5%. Os professores, no entanto, pleteiam um aumento de 12,41%, além do acréscimo de 10% no auxílio-alimentação, progressão de carreira e eleição do diretor escolar.
 
O impasse nas negociações, segundo a representante do sindicato, está no fato de a proposta da prefeitura não contemplar professores aposentados e os que atuam em Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). "Não podemos aceitar uma proposta que não contemple a categoria como um todo", disse.
 
De acordo com a prefeitura, nesta quinta-feira, segundo dia de greve, 86% das escolas da rede municipal funcionaram normalmente ou de forma parcial, conforme levantamento feito pela Secretaria Municipal de Educação (Smed). A orientação Smed é que as atividades sejam mantidas nas instituições de ensino.
 
O G1 fez um giro pelas escolas públicas e a maior parte delas estava funcionando normalmente. Das cinco unidades de ensino visitadas, uma estava fechada. As escolas municipais visitadas na manhã desta quinta-feira que tiveram atividades normais foram: Terezinha Vaz (Barbalho), Vila Vicentina (Lapinha), Barão de Rio Branco (Pero Vaz) e Nossa Senhora dos Anjos (Brotas).
 
Na escola Terezinha Vaz, inclusive, há um comunicado na porta que informa que os professores da unidade de ensino não vai aderir à greve. Já na Escola Municipal Pirajá da Silva, no bairro da Liberdade, as aulas foram suspensas.
 
O filho da dona de casa Josiane Almeida estuda na escola Nossa Senhora dos Anjos e relatou à mãe que não teve qualquer alteração nas atividades nesta quinta-feira. “Desde ontem que a gente ouve falar da greve, mas aqui disseram [professores] para gente que não iam aderir e ele [o filho] me disse que os coleguinhas foram para aula, que foi tudo normal e os professores estavam aí”, concluiu.


Educação LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje