Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 19 de julho de 2019

Brasil

Moro diz que mercado pirata é dominado por 'organizações criminosas e violentas'

05 de junho de 2019 | 13h 44
Moro diz que mercado pirata é dominado por 'organizações criminosas e violentas'
Foto: Reprodução
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, disse nesta quarta-feira (05) que organizações criminosas dominam o mercado pirata no país.
 
Moro discursou sobre o tema na abertura do II Encontro Nacional de Combate à Pirataria e a Crimes Correlatos, em Brasília.
 
"Quantas vezes policiais em investigações de tráfico de drogas já ouviram comunicações de traficantes dizendo que iam fazer uma carga de cigarro para capitalizar para depois traficar cocaína, outras drogas mais pesadas. Então hoje tem um mercado e esse mercado pirata é dominado normalmente por grandes organizações criminosas e violentas", afirmou o ministro.
O encontro reúne representantes de diversos órgãos de fiscalização à pirataria, como a Receita Federal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e o Ministério da Justiça e Segurança Pública, e debate temas como o combate à falsificação, contrabando, furto de sinais audiovisuais, pirataria digital, marcas e patentes.
 
Ainda segundo o ministro, o crime organizado atua na produção e comercialização dos produtos piratas.
 
"Não podemos ignorar o papel que o crime organizado tem nessas linhas de produção e comercialização de produtos piratas. Aquela visão antiga de que um pequeno criminoso atuando nesse mercado para ganhar sua vida, claro que até acontece de pessoas da ponta, as vezes sem oportunidade que acabam recorrendo a esses mercados ilegais, mas existe toda uma linha de produção e comercialização por trás que não envolve pequenos criminosos, pelo contrário, envolve grandes criminosos", explicou.
 
De acordo com o secretário Nacional do Consumidor, Luciano Timm, o consumidor precisa ter a percepção de que o "barato sai caro" e que compras ilegais podem financiar atividades criminosas.
 
"Realmente num momento de crise econômica a sensibilidade a preço fica maior. Mas temos que ter a percepção de que o barato pode sair caro no sentido de qualidade e de financiamento de outras atividades que depois se voltam contra ele. Hoje, a atividade criminosa se tornou uma atividade empresarial complexa, organizada e essas pequenas transgressões no final do dia podem ter um prejuízo bastante grande", disse.
 
Segundo Timm, a pirataria causa um prejuízo estimado de R$ 20 bilhões ao país.
 
"Não temos um número exato, justamente é uma atividade ilícita, então nós valemos de estimativas, mas tranquilamente podemos dizer que passa de 20 bilhões", explicou.


Brasil LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje