Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quinta, 12 de dezembro de 2019

Segurança

Suspeito de encomendar morte de enfermeira é preso; homem era companheiro da vítima

18 de julho de 2019 | 16h 57
Suspeito de encomendar morte de enfermeira é preso; homem era companheiro da vítima
Foto: Reprodução
O suspeito de encomendar a morte da enfermeira que foi morta na cidade de Alagoinhas, a 110 km de Salvador, em 2017, foi preso na manhã desta quinta-feira (18). Antônio Roberto Freitas Valverde Junior, de 37 anos, era companheiro da vítima.
 
Conforme a Polícia Civil, ele pagou R$ 1,5 mil para os assassinos porque considerava que ela não dava importância ao relacionamento e também se relacionava com outras pessoas.
 
Segundo informações da polícia, Antônio Roberto teve o mandado de prisão preventiva cumprido no bairro de Alagoinhas Velha, em Alagoinhas.
 
De acordo com a polícia, Rosângela Gomes Costa, de 35 anos, foi encontrada morta em 21 de abril de 2017 após ser agredida a socos e facadas em um dos quartos da casa dela, no bairro do Barreiro. A vítima estava vendada e com os braços amarrados.
 
A Polícia Civil informou que Antônio e Rosângela tinham um relacionamento conturbado, marcado por ciúmes e cobranças da parte do suspeito. Os outros dois suspeitos de cometerem o crime permanecem presos na delegacia da cidade.
 
Além de enfermeira, Rosângela Costa também era professora universitária.
 
O primeiro suspeito a ser preso foi Edvan Alves dos Santos, no dia 29 de abril de 2017. Segundo a polícia, ele já havia realizado serviços para a vítima. Ele foi identificado após o celular da enfermeira ser apreendido com um homem que teria comprado o aparelho na mão do suspeito.
 
O outro suspeito do crime foi encontrado pela polícia no dia 10 de maio. Ele estava escondido em uma casa da cidade onde ocorreu o crime, mas foi denunciado. A polícia informou que o homem nega que tenha participado do crime. A identidade dele não foi divulgada.
 
Em junho de 2017, Edvan Alves mudou a versão do depoimento dele para a polícia e disse que ele e o comparsa foram contratados para cometer o crime. Inicialmente, segundo a Polícia Civil, ele havia afirmado que matou a vítima para roubar os pertences dela.


Segurança LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje