Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 19 de abril de 2021

Mundo

Após morte de uma pessoa, Áustria suspende vacinação com um lote do imunizante da AstraZeneca

07 de março de 2021 | 16h 09
Após morte de uma pessoa, Áustria suspende vacinação com um lote do imunizante da AstraZeneca

Autoridades austríacas suspenderam a vacinação com um lote do imunizante contra a Covid-19 da farmacêutica AstraZeneca. A medida, divulgada neste domingo (7) por uma agência de saúde, foi tomada por precaução, enquanto se investiga a morte de uma pessoa e o adoecimento de outra após o recebimento de doses da vacina elaborada com a parceria da Universidade de Oxford.

Segundo o comunicado, a Agência Federal de Segurança em Saúde (BASG)recebeu “dois relatórios em uma conexão temporal com a vacinação do mesmo lote da vacina da AstraZeneca na clínica do distrito de Zwettl”, localizado no estado de Baixa Áustria.

De acordo com o jornal espanhol ABC, uma mulher de 49 anos morreu em decorrência de graves transtornos de coagulação e outra, de 35 anos, desenvolveu uma embolia pulmonar (bloqueio agudo de uma ou mais artérias dos pulmões, causado por gordura, ar, coágulo de sangue ou células cancerosas), mas está se recuperando.

Conforme a BASG, atualmente, “não há evidências de uma relação causal com a vacina”. O jornal austríaco Niederoesterreichische Nachrichten, bem como a emissora ORF e a agência de notícias APA, informaram que as mulheres eram enfermeiras e trabalhavam na clínica Zwettl.

A agência de saúde disse, ainda, que a coagulação não estava entre as reações adversas conhecidas da vacina e que continuará a investigando, a fim de descartar, por completo, qualquer possível vínculo. Garantiu também que, por prevenção, o restante do lote atrelado aos problemas não será mais utilizado.

Através de um porta-voz, a AstraZeneca afirmou que “nenhum evento adverso sério associado à vacina foi confirmado”. A empresa também assegurou que todos os lotes de seu imunizante estão sujeitos rigorosos controles de qualidade e que os ensaios e testes realizados, até o momento, sugerem que a vacina é segura e eficaz. Além disso, segundo o ABC, o laboratório britânico informou que estava em contato com as autoridades austríacas e que apoiaria totalmente a investigação.

O imunizante da Astrazeneca foi validado em mais de 50 países. Órgãos reguladores da União Europeia (EU) aprovaram o fármaco em janeiro de 2021, atestando que era seguro e efetivo contra a Covid-19. Em fevereiro, foi a vez da Organização Mundial da Saúde (OMS) liberar a vacina para uso emergencial.

Ainda segundo o portal de noticias espanhol, as reações adversas observadas nos ensaios clínicos foram de curta duração. Nenhum problema relacionado à coagulação sanguínea foi relatado. O ABC informou, ainda, que o órgão regulador de vacinas da Alemanha realizou uma avaliação de segurança com mais de 360 mil pessoas imunizadas com a vacina da AstraZeneca no país, entre o lançamento do fármaco, no início de fevereiro, e o dia 26 do mesmo mês, concluindo que as respostas indesejadas ao medicamento estavam de acordo com o perfil de segurança descrito nos procedimentos de investigaçao de eficácia.



Mundo LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje