Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sexta, 30 de outubro de 2020

Economia

Centro em São José vai fortalecer a agricultura familiar

06 de julho de 2015 | 10h 46

Pequeno agricultor deve produzir 3 milhões de grãos de milho e feijão este ano

Centro em São José vai fortalecer a agricultura familiar
Mais de 150 famílias serão beneficiadas da produção de polpas de frutas, sequilhos e compotas

Moradores de comunidades do distrito de Maria Quitéria, conhecido como São José, que têm na agricultura familiar sua fonte de geração de renda, comemoraram na manhã de domingo (5), a inauguração do Centro de Beneficiamento Júlio Martins de Oliveira Neto, na localidade de Carro Quebrado.

Mais de 150 famílias serão beneficiadas da produção de polpas de frutas, sequilhos e compotas. Elas são cadastradas na Associação dos Produtores de Agricultura Familiar e Economia Solidária de Feira de Santana.

O prefeito José Ronaldo de Carvalho prestigiou o ato, acompanhado dos secretários municipais de agricultura, Welligton Andrade, e de governo, Paulo Aquino. Além desse centro de beneficiamento, existem equipamentos semelhantes nos distritos da Matinha, Governador João Durval Carneiro (Ipuaçu), o que contempla aproximadamente 350 famílias.

Os itens produzidos são destinados à merenda escolar, bem como comercializados em mercados e feiras-livres. “Esses equipamentos proporcionam ao homem do campo trabalhar e obter a sua renda”, disse Jurandir Carvalho, coordenador da Agricultura Familiar.

O secretário Welligton Andrade ressaltou que a agricultura familiar é prioridade no mundo e, antes de desejar que “esse empreendimento prospere e dê bons resultados para a vida de cada um dos beneficiados”, falou do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, implantado no município no segundo governo de José Ronaldo.

“Neste ano teremos uma colheita de 3 milhões de grãos de milho e feijão, que é resultado do trabalho do pequeno agricultor. Esse que tira de cada calo nos dedos e o suor do rosto, o seu sustento”, disse.

José Ronaldo reconheceu que o Centro de Beneficiamento é um projeto social “bonito e que tem tudo para dar certo”, uma vez que “comida é indispensável, é só produzi-la que vende”. Ele recordou e comentou casos de pessoas que se dedicam a produzir beijus, sequilhos e compotas, entre outros, e conseguem tirar daí sua fonte de sobrevivência.



Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje