Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, quinta, 24 de setembro de 2020

Economia

Economia do Brasil cai 0,58% em junho, diz BC

19 de agosto de 2015 | 11h 01

Atividade econômica registra queda no trimestre e indica recessão

Economia do Brasil cai 0,58% em junho, diz BC

O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,58% em junho, na comparação com maio, segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta quarta-feira (19). A comparação é feita já descontando as diferenças sazonais entre os meses de maio e junho.

Com isso, a economia do país fecha o segundo trimestre com queda de 1,89%. É o segundo trimestre seguido de recuo. No primeiro trimestre deste ano, o indicador IBC-Br havia mostrado perda de 0,88%. Levando em conta o PIB oficial no período, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a queda foi de 0,2%. 

Dois trimestres consecutivos de encolhimento da economia indicam que o país está em recessão técnica. Já havia ocorrido recessão técnica no ano passado, com resultados negativos do PIB no primeiro e no segundo trimestres. 

Na comparação com junho de 2014, o IBC-Br teve queda de 1,2%. 

Do começo do ano até junho, o indicador acumula queda de 2,58% e mostra perda de 1,64% em 12 meses, em números dessazonalizados.

IBC-Br

O indicador do BC é visto pelo mercado como uma antecipação do resultado do PIB, e serve de base para investidores e empresas adotarem medidas de curto prazo. Porém, não necessariamente reflete o resultado anual do PIB e, em algumas vezes, distancia-se bastante.

O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços).

A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores acrescida dos impostos sobre produtos. O PIB calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período.O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma "prévia" do PIB (Produto Interno Bruto), caiu 0,58% em junho, na comparação com maio, segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta quarta-feira (19). A comparação é feita já descontando as diferenças sazonais entre os meses de maio e junho.

Com isso, a economia do país fecha o segundo trimestre com queda de 1,89%. É o segundo trimestre seguido de recuo. No primeiro trimestre deste ano, o indicador IBC-Br havia mostrado perda de 0,88%. Levando em conta o PIB oficial no período, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a queda foi de 0,2%. 

Dois trimestres consecutivos de encolhimento da economia indicam que o país está em recessão técnica. Já havia ocorrido recessão técnica no ano passado, com resultados negativos do PIB no primeiro e no segundo trimestres. 

Na comparação com junho de 2014, o IBC-Br teve queda de 1,2%. 

Do começo do ano até junho, o indicador acumula queda de 2,58% e mostra perda de 1,64% em 12 meses, em números dessazonalizados.

IBC-Br

O indicador do BC é visto pelo mercado como uma antecipação do resultado do PIB, e serve de base para investidores e empresas adotarem medidas de curto prazo. Porém, não necessariamente reflete o resultado anual do PIB e, em algumas vezes, distancia-se bastante.

O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços).

A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores acrescida dos impostos sobre produtos. O PIB calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período.

FONTE: Uol



Economia LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje