PMFS - Nota feirense
IUNE
Feira de Santana, Quarta-Feira, 1 de Outubro de 2014

Pessoas com suspeita de anemia falciforme não precisarão mais pegar filas

postado 13-03-2014 14:34

O Hospital da Mulher e o Centro de Referência a Pessoa com Anemia Falciforme estabeleceram parceria para que os pacientes, com suspeita da doença, não precisem mais pegar filas para fazer os exames nos laboratórios credenciados pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

      

A unidade hospitalar vai realizar os exames laboratoriais solicitados pelo Centro de Referência e mediante os resultados, o paciente será encaminhado ao profissional médico já em condições de iniciar o quanto antes o tratamento. O objetivo é otimizar a consulta. Funcionários do Hospital da Mulher participaram de uma capacitação promovida pelo Centro de Referência na tarde desta quarta-feira, 12.

 

Por ser considerada um tipo grave de anemia, quando mais cedo o paciente falciforme iniciar o tratamento, melhor para reduzir as crises, garantir qualidade de vida e evitar as internações hospitalares.

     

Como parte do atendimento otimizado, o Centro de Referência está ministrando uma capacitação no Hospital da Mulher para os enfermeiros, bioquímicos, técnicos de laboratório e demais profissionais que vão cuidar da realização do diagnóstico.

     

Pessoas que apresentem sintomas como dores nos ossos e olhos amarelados, devem procurar o Centro de Referência Municipal a Pessoa com Doença Falciforme, localizado na Rua Tostão S/N, no CSU (Centro Social Universitário), próximo ao transbordo da Cidade Nova. Ou se informar pelo número 3603 7795.

        

No início das atividades, há cerca de um ano e meio, o Centro de Referência Municipal a Pessoa com doença Falciforme teve que recorrer ao SAMU para dar socorro a pacientes que já chegavam em crise. Hoje, de acordo com a coordenadora Luciana Brito, devido ao acompanhamento que é feito por uma equipe multidisciplinar, pouquíssimos pacientes procuram o serviço em estado crítico.

      

De acordo com o Centro, não há nenhum paciente internado, apenas sendo acompanhado pela equipe que conta com hematopediatra, fisioterapeuta, assistente social, psicólogo e nutricionista. No total são 10 profissionais para atender o paciente nas suas necessidades de tratamento e psicossocial.

      

postado 13-03-2014 14:34

Envie seu comentário

Enquete

Qual problema exige solução mais urgente hoje em Feira de Santana?




Newsletter

Tribuna Feirense © 2010-2014. Todos os direitos reservados