Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, domingo, 16 de janeiro de 2022

Saúde

Bahia não tem registros da nova variante ômicron, diz governo

28 de Novembro de 2021 | 11h 37
Ouvir a matéria:
Bahia não tem registros da nova variante ômicron, diz governo
Foto: Getty Images

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) afirmou não haver registro de casos da nova variante do SARS-CoV-2, vírus causador da Covid-19. Originalmente detectada no sul do continente africano, a B.1.1.529, agora denominada ômicron, preocupa o mundo, sobretudo, por apresentar acima de 50 mutações.

Segundo a comunidade científica, mais de 30 dessas mudanças genéticas detectadas na nova cepa ocorrem somente na proteína S ou Spike, meio que o patógeno utiliza para conseguir entrar nas células. É ela um dos principais alvos da maioria dos imunizantes contra a doença, que atuam induzindo os anticorpos neutralizantes produzidos pelo organismo a bloquearem sua ação. De acordo com o G1, o fenômeno nunca havia sido visto.

A Sesab esclareceu que "realiza vigilância ativa dos casos de Covid-19 no estado, monitorando diversos indicadores, como taxa de positividade e número de casos ativos". Também destacou que, através do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), vem realizando o sequenciamento genético do SARS-CoV-2, por meio de amostras coletadas em diversas regiões do estado. E que, até o momento, as análises não dão indicativos de circulação da variante ômicron.

Ainda conforme o G1, o aumento do número de casos da doença na Bahia voltou a preocupar autoridade de saúde. Pela primeira vez após três meses, o estado alcançou a marca de mais de 3 mil casos ativos da doença, em dois dias seguidos. "Essa é uma doença colaborativa. Na medida em que as pessoas não seguem recomendações de uso de máscara, de distanciamento físico e, principalmente, de completar o esquema vacinal, teremos novos casos", disse Tereza Paim, gestora da Sesab.

O órgão informou que, atualmente, há 254.612 ocorrências de Covid-19 em investigação. Dos 1.258.872 casos confirmados desde março de 2020, quando a pandemia começou no Brasil, 1.228.521 já são considerados recuperados e 27.282 pacientes evoluíram a óbito. Segundo o G1, a Sesab contabiliza, ainda, que 52.528 profissionais da saúde contraíram a doença.

Na capital do estado, não há casos da nova cepa em investigação. A assessoria de comunicação da Sesab informou ao G1 que, por conta disso, ainda não há medidas sendo adotadas em nível local. Por recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Brasil vai fechar, a partir desta segunda-feira (29), suas fronteiras aéreas a passageiros advindos da África do Sul, da Botsuana, de Eswatini, do Lesoto, da Namíbia e do Zimbábue.



Saúde LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje