Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, terça, 20 de novembro de 2018

Saúde

Mais de 50 macacos são achados mortos em Salvador em janeiro; instituto apura suspeita de febre amarela

01 de fevereiro de 2018 | 07h 44
Mais de 50 macacos são achados mortos em Salvador em janeiro; instituto apura suspeita de febre amarela
Foto: SMS/ Divulgação
Cinquenta e cinco macacos foram encontrados mortos e cinco feridos em Salvador durante o mês de janeiro. A suspeita é de que os animais estavam infectados pelo vírus da febre amarela. A situação está sob investigação.
 
As informações foram divulgadas pela prefeitura nesta quarta-feira (31). De acordo com o órgão, amostras dos macacos foram encaminhados para o Laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, para análise. Ainda não há detalhes sobre o resultado dos exames.
 
Entre os bairros em que houve registro estão Ondina, Castelo Branco, Garcia, Sussuarana, Valéria e Pau da Lima, onde foi achado o primeiro animal morto com suspeita da doença. Os macacos encontrados nesses locais foram recolhidos pela Guarda Civil Municipal, após solicitação de moradores.
 
Conforme a prefeitura, após a identificação de risco, equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) foram encaminhadas para os locais para realização do bloqueio espacial, com borrifação de inseticida, com o intuito de eliminar possíveis mosquitos infectados.
 
Conforme a prefeitura, os cidadãos não devem matar os animais, pois eles não transmitem o vírus da febre amarela, doença que tem como vetor o mosquito Aedes aegypti, o mesmo causador da dengue, zika e chikungunya. O macaco é um sentinela da doença - ou seja, indica quando ela está presente.
 
Segundo a prefeitura, ao matar um macaco, a pessoa pode responder por maus tratos e ser enquadrada no artigo 29 da Lei 9605/98 – Lei de crimes ambientais, com pena de detenção de seis meses a um ano, além de multa.
 
Aqueles animais encontrados ainda vivos, mas debilitados, são soltos na natureza após a realização de todos os exames necessários durante o período da quarentena, atestando boa saúde.
 
Em 2017, foram registrados 13 macacos com confirmação de febre amarela em Salvador.


Saúde LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje