Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, sábado, 22 de setembro de 2018

Cultura

Ipac conclui estudo para tornar fogaréu de Serrinha patrimônio imaterial

06 de fevereiro de 2015 | 14h 35

A Semana Santa de Serrinha comemora 85 anos de tradição em 2015

Ipac conclui estudo para tornar fogaréu de Serrinha patrimônio imaterial
Procissão do Fogaréu de Serrinha
No ano em que a Semana Santa de Serrinha comemora 85 anos de tradição, o Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (IPAC), que esteve no ano de 2014 presenciando as celebrações para a elaboração do Plano de Salvaguarda da Procissão do Fogaréu, divulgou no Diário Oficial notificação pública, indicando que estão terminados os estudos e montados os dossiês, que serão submetidos ao Conselho de Cultura do Estado da Bahia salvaguardando a Procissão como Patrimônio Imaterial do Estado. 
 
 
Este é um importante marco para a Semana Santa de Serrinha que vem se consolidando como rota de turismo religioso na Bahia, onde durante sete dias, moradores e turistas celebram a Paixão e Ressurreição de Jesus Cristo com atos religiosos. O registro do Plano de Salvaguarda do Bem cultural é de suma importância para o tombamento e o reconhecimento da Tradição e fé do nosso povo.
 
 
É amplamente recnhecida a importância de promover e proteger a memória e as manifestações culturais.
O Registro é a identificação e produção de conhecimento sobre o bem cultural pelos meios técnicos mais adequados e amplamente acessíveis ao público, permitindo a continuidade dessa forma de patrimônio.
 
 
A PROCISSÃO DO FOGARÉU 
 
 
A Procissão do Fogaréu acontece desde 1930 em Serrinha, e há mais de oito décadas abre o cerimonial litúrgico das comemorações da Paixão de Cristo no município. Marca o ápice das comemorações da Semana Santa.
O cortejo da procissão é iniciado com a caminhada de penitência, iniciada na Igreja de Nossa Senhora de Santana, com o Bispo Diocesano da Paróquia conduzindo uma cruz de madeira. Com tochas de papel acesas por velas, os fiéis percorrem mais de cinco quilômetros, até a Colina, e é neste ponto, que se pode ter a dimensão da multidão que forma um tapete humano de luzes, no alto da ladeira de Santana, onde Sob a benção de Nossa Senhora Santana, Padroeira de Serrinha, e sob os olhares atentos de todos, a encenação da Peça A Paixão de Cristo, encerra a noite de grandes emoções.
PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL 
O Patrimônio Cultural Imaterial ou Intangível compreende as expressões de vida e tradições que comunidades, grupos e indivíduos em todas as partes do mundo recebem de seus ancestrais e passam seus conhecimentos a seus descendentes. Apesar de tentar manter um senso de identidade e continuidade, este patrimônio é particularmente vulnerável uma vez que está em constante mutação e multiplicação de seus portadores. Por esta razão, a comunidade internacional adotou a Convenção para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial em 2003.
 De modo a estimular os governos, ONGs e as próprias comunidades locais a reconhecer, valorizar, identificar e preservar o seu patrimônio cultural imaterial, a UNESCO criou um título internacional. A proteção que o registro é capaz de oferecer se expressa mediante o reconhecimento da existência e valor de determinada manifestação cultural, constitui prova capaz de dar suporte a ações que visem a impedir posterior utilização indevida dos conhecimentos e práticas envolvidos na manifestação cultural. 


Cultura LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje