Tribuna Feirense

  • Facebook
  • Twiiter
  • 55 75 99801 5659
  • Feira de Santana, segunda, 12 de novembro de 2018

Saúde

Profissional de saúde deve perguntar se paciente é homossexual, orienta dirigente

23 de maio de 2018 | 17h 56
Profissional de saúde deve perguntar se paciente é homossexual, orienta dirigente
Foto: Divulgação / Secom
“Ao preencher uma ficha ou cadastro em uma unidade de saúde, o profissional tem que perder a vergonha e perguntar se o paciente é homossexual. Não devemos agir como se fosse uma agressão ao outro perguntar se ele é gay”. A declaração é do chefe da Divisão de Promoção de Direitos às Minorias, Fábio Ribeiro, durante o seminário sobre Saúde Integral da População LGBTQ na Atenção Básica, realizado nessa quarta-feira, 23.
 
Promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedeso), o evento foi realizado no auditório da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC). O seminário trouxe como discussão principal a humanização no atendimento à saúde da pessoa LGBTQ e o combate à discriminação.
 
Os palestrantes expressaram preocupação em melhor preparar os profissionais de saúde para que ajudem a eliminar os preconceitos sociais enfrentados pelas pessoas transexuais. “Uma de nossas perspectivas é garantir aos transgêneros o uso do nome social nos serviços de saúde e já estamos trabalhando para isso”, destaca a referência técnica municipal à saúde da pessoa LGBTQ, Jamiley Dias.
 
Diretora nacional da UNALGBT e coordenadora do Grupo Gay da Bahia, Millena Passos (foto) elogiou a iniciativa da Prefeitura de Feira em trazer a público o debate sobre o atendimento à pessoa LGBTQ. “Eu chego aqui hoje nessa capacitação e fico muito feliz, por abranger profissionais de saúde de Feira de Santana. Isso é importante para as pessoas começarem a respeitar essa diversidade, pois nós existimos, merecemos respeito e somos também usuários do SUS”, destaca.
 
A secretária municipal de Saúde, Denise Mascarenhas (foto), participou do evento. “Na gestão municipal existe a preocupação de trabalhar para a ampliação do acesso da população LGBTQ a todos os serviços de saúde através do SUS. Nossas unidades têm portas abertas para o acolhimento e atendimento a todos os públicos, sem discriminação ou preconceito”, destaca Denise.
 
O evento, que visa capacitar estudantes e profissionais de saúde, será retomado na sexta-feira, 25, das 8h às 12h e das 14h às 17h.


Saúde LEIA TAMBÉM

Charge da Semana

CHARGE DO BOREGA

As mais lidas hoje